FUNCEME afirma que ventos que causaram destruição em Iguatu chegaram a 70km/h

Fevereiro 19, 2015 Sem comentários »

A noite de quarta-feira,18, foi marcada por fortes chuvas e um novo vendaval em Iguatu, o fenômeno aconteceu por volta das 20h. foram, cerca de 30 minutos de precipitação, raios, trovões e uma forte ventania.

O bastante para causar uma enorme destruição na sede do município, árvores foram derrubada, muros caíram , autdoors desabaram, placas, antenas e uma torre de 20 metros.

A reportagem do portal Iguatu.net entrevistou nesta quinta-feira,19, o meteorologista da FUNCEME, Davi Ferran, que explicou com detalhes o que aconteceu em Iguatu.

“ Registramos com nossos equipamentos ventos de 70 km/h e em apenas uma hora choveu 28mm, temos um estudo que demonstra a influência do Açude Orós nesta região, após a sua construção percebemos que aumentou a precipitação, o açude possui um grande lençol de água e que influencia nas chuvas e também nos ventos, é por isto que esta região é diferenciada do Ceará”, disse o representante da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos.

aderilochuva

Na madrugada o prefeito Aderilo Alcântara acionou toda equipe da Defesa Civil, DEMUTRAN, Guarda Municipal  e Secretaria Executiva para atender a população que foi atingida pelo temporal.

“ Muitos fios de alta tensão caíram e estão pelas ruas, enrolados com as árvores, pedimos a todos que tenham cuidado, estamos com a nossa equipe sinalizando todos os locais e esperando que a COELCE atenda a demanda que é muito grande

Um local que chamou a atenção da nossa reportagem foi o aeroporto de Iguatu, onde um hangar ficou parcialmente destruído , os fortes ventos arrancaram parte do teto de zinco que foi levado até 800 metros do local atingindo uma residência e ficando presos em árvores e nas proximidades da pista do aeroporto.

Até o momento, o Corpo de Bombeiros afirma que não houve feridos, a COELCE continua atendendo os Bairros que continuam sem energia.

Vejam o vídeo com imagens da destruição e escute a entrevista com o representante da FUNCEME.

Assunto Relacionado

Comente