CE: volume de crédito imobiliário subiu 25,8%

Janeiro 23, 2015 Sem comentários »

O volume de crédito imobiliário no Ceará cresceu 25,8% em 2014, na comparação com o ano imediatamente anterior. Conforme dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), com R$ 2,7 bilhões, o crescimento foi bem acima da variação constatada no Brasil. Quanto ao número de unidades, a evolução no Ceará, de 2013 para 2014, foi maior ainda, totalizando mais de 13,9 mil, com alta de 33,5%.

No Brasil, o crédito imobiliário não cresceu no ritmo que a Abecip esperava, mas bateu novo recorde e teve desempenho satisfatório, considerando o cenário desfavorável da economia brasileira, segundo o presidente da entidade, Octavio de Lazari Junior. “O volume de operações de crédito está bastante coerente com a capacidade de consumo e econômica que o Brasil tem”, avaliou ele, em coletiva de imprensa realizada ontem.

Abaixo da projeção

No ano passado, o volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis totalizou R$ 112,9 bilhões, 3,4% maior que no ano anterior. O desempenho do período ficou abaixo da projeção da entidade, de avanço de 5%, em 2014.

De acordo com Lazari, o crédito imobiliário tem capacidade de continuar crescendo a despeito de um crescimento menor dos depósitos na poupança, uma das principais fontes de financiamento do segmento. “Temos todos os instrumentos necessários para continuar fazendo crescer o crédito imobiliário mesmo com redução da poupança, carência ou esgotamento, o que não é o caso”, disse. Para Lazari, o crescimento do crédito imobiliário não voltará a patamares de 30% a 40% ao ano. Esse patamar de expansão, diz, é “até perigoso”, representando gargalos a vários segmentos ligados com o setor. No fim de 2014, a inadimplência da hipoteca e alienação fiduciária foi a 1,4%, abaixo do indicador do ano anterior, de 1,7%.

Abecip prevê alta de 5% em 2015

São Paulo .A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) projeta que o crédito imobiliário no País crescerá 5% em 2015, a R$ 119 bilhões, ainda abaixo do patamar de R$ 125,6 bilhões, inicialmente projetado como alvo para o ano passado.

Questionado sobre a mudança para uma perspectiva de alta mais modesta nos próximos anos, o presidente da Abecip, Lazari Junior, disse que avanços de 30% a 40% não vão mais se repetir. “Quando a gente crescer muito vai ser 10% a 12%”, salientou, destacando a dificuldade de ampliar uma base já robusta.

Sobre o aumento dos juros divulgado para a compra de imóveis na última semana pela Caixa Econômica Federal, ele avaliou que foi feito um realinhamento da taxa diante da alta da Selic, corrigindo uma distorção que existia no passado.

“Mercado imobiliário é mercado de disputas entre bancos”, disse, acrescentando que agora as demais instituições vão competir em patamar de maior igualdade com a Caixa em relação aos juros cobrados aos mutuários.

Opinião do especialista

Mercado da Capital continua aquecido

Um dos motivos para o avanço expressivo dos financiamentos no Ceará é o déficit habitacional do nosso Estado, que ainda é elevado. Então, quando você tem uma oferta de crédito e tem pessoas querendo comprar, acontece esse processo. Ao contrário de outras capitais, Fortaleza continua com um mercado bem aquecido. Tanto que, em 2013 e 2014, nós registramos grandes lançamentos.

Uma das coisas que têm preocupado o setor, entretanto, são os atrasos no pagamento do programa Minha Casa, Minha Vida. Até agora, só recebemos em torno de 60%, do que o governo estava devendo. O que causa mais receio é o fato de ainda não sabermos como passará a ser feito o pagamento em contratos futuros.

Diário do nordeste

Assunto Relacionado

Comente